Eventos

International Conference “Luso-luxemburguês? Research on Portuguese migration in Luxembourg” (19-20 February 2016)

I am so happy to announce this conference, starting tomorrow. I might say it was a great, indeed intensive, but wonderful experience to be engaged together with Thierry Hinger (UniLU / IPSE, CDMH), Nicolas Graf (CDMH) and other colleagues from CDMH and UniLu in the organization of such a conference. A detailed post on the developments of this conference might come very soon! I am very excited about meeting so many experts on the field and particularly interest in listening the participants of the actiivty “Conte a sua história” (Tell your story).

All invited!

🙂

The conference “Luso-Luxemburguês?”, co-organized by the Documentation Centre for Human Migrations (CDMH) and the University of Luxembourg, in collaboration with several institutions and associations, is a first initiative that brings together researchers at international level currently working on Portuguese migration in Luxembourg. The public is warmly invited to participate in debates.

Simultaneous translation will be provided: French – English / English – French

FIRST DAY: Friday, 19th February 2016

14h00 – 14h15

Welcome and opening words

14h15 – 17h00

Session 1 : Growing and aging in migration

Moderation: José Carlos Marques, CICS.NOVA.IPLeiria

17h15 – 17h30

Research on migration in Luxembourg

Presentation of www.cdmh.lu/recherche

Thierry HINGER, CDMH, & Anita LUCCHESI, Univ. of Luxembourg, IPSE

SECOND DAY: Saturday, 20th February 2016

9h30 – 12h00

Session 2 : The comings and goings of the Portuguese in Luxembourg and diverse political issues

Moderation: Adrien THOMAS, LISER

14h30 – 16h00

Session 3 : “Conte a sua história”: a microphone open to the “comunidade portuguesa no Luxemburgo”

Moderation: Jozefien DE BOCK, Ghent University

Conclusion by José Carlos Marques, CICS.NOVA.IPLeiria

16h30-18h00

“Conte a sua história”: recording testimonies

Here the collective of researchers on Portuguese immigration stops to listen to the community itself. This activity was inspired by the practice of public history, increasingly using digital and audiovisual resources in projects built with specific communities, sharing with them historian-researcher authority. This moment within the session “Tell your story” was planned to give way to the testimonies of Portuguese attending the conference that might wish to talk about their life experiences. Therefore, all of the Portuguese community in Luxembourg is invited to participate, regardless of age, profession, or date of arrival in the Grand Duchy. Other migration experiences are equally welcome. The microphone will be open to everyone!

 

Full program:

12657238_10153433239211519_6386969137713376015_o

12615498_10153433239226519_724676354544257499_o
Please, register by e-mail: info@cdmh.lu – participation is free.

Migration/Immigration Network of the SSHA (Chicago, November 17-20, 2016)

Reposting a CFP from H-Migration

CFPs: Migration Network of the Social Science History Association (SSHA)

41st Annual Meeting of the Social Science History Association

Date and Location: Chicago, Illinois, November 17-20, 2016

Conference Theme: “Beyond Social Science History: Knowledge in an Interdisciplinary World”

Submission Deadline: February 20th, 2016

The SSHA is the leading interdisciplinary association for historical research in the US; its members share a common concern for interdisciplinary approaches to historical problems. The organization’s long-standing interest in methodology also makes SSHA meetings exciting places to explore new solutions to historical problems. We encourage the participation of graduate students and recent PhDs as well as more-established scholars, from a wide range of disciplines and departments.

We hereby invite you to submit panels, papers, and posters related to the theme of migration widely defined for the forthcoming conference on“Beyond Social Science History: Knowledge in an Interdisciplinary World” in Chicago. We encourage submissions on all aspects of social science history. Submission of complete sessions and interdisciplinary panels are especially welcome.

The Migration Network is one of the largest and most active networks at the SSHA. This year’s theme focusing on interdisciplinary historical studies and that ways in which disciplinary boundaries have stretched to integrate new methodologies, data, tools from the physical and biological sciences, as well as literature, arts, medicine and technology offers especially rich opportunities for migration scholars.

We are seeking submissions that address the topics below. Related subjects and new ideas are also welcome: 

  • Refugees, Public health and the Law
  • Public Policy and Refugees
  • Refugees and the “European Crisis”
  • Gendering of Mobility: Refugees, Labor Migrants, Family unification
  • Migration, Mobility and Environmentalism (epidemiology public health, climate change)
  • Migration and the Digital Humanities
  • Forced and Free Migrations
  • Migration history in the Public Sphere
  • Narratives of Migration: Oral Histories and Storytelling
  • Emotions and Migration
  • Citizenship and the Law: Forms of Inclusion (birthright) and Forms of Deportation
  • Migration and Diplomacy
  • Migrants, Refugees and Grassroots politics
  • War and Migration
  • History, Memory and the shaping of Contemporary Migration Debates
  • Migration Scholars as Public Intellectuals
  • Teaching Migration: National Differences or Disciplinary Challenges

We are now accepting conference submissions for the 2016 SSHA Annual Conference.  You may login to submit a panel or paper directly at (http://ssha.org). Individuals who are new to the SSHA need to create an account prior to using the online submission site. Please keep in mind that if your panel is accepted, every person on the panel has to register for the conference. Graduate students are eligible to apply for financial support to attend the annual meeting (see http://www.ssha.org/grants).

Please feel free to contact the Migration Network Representatives for comments, questions, assistance creating a panel or for help with submissions:

Marina Maccari-Clayton (mmaccari@utk.edu)

Gráinne McEvoy (mcevoygr@gmail.com)

Linda Reeder (ReederLS@missouri.edu)

Next Wednesday (18/Nov) @ Institut d’Histoire Culturelle Européene Bronislaw Geremek

Hi everybody! I am more than happy to inform that next week I will be at the Château des Lumières, in Lunéville, for a presentation on “Festas Portuguesas”, together with Florence Florin and Diégo Ropele.

This presentation will be part of the Mercredis Européens of the Institut d’Histoire Culturelle Européene Bronislaw Geremek, which are described as Conférences apéritives, illustrées et participatives d’histoire culturelle. 🙂 

The invitation for this exciting meeting, at this environment of a popular audience, came when I was in Trier, in the occasion of the Digital Humanities Autumn School 2015, where I hopefully met Didier Francfort, and while talking about migration history, public history and cultural history, the idea of discussing Portuguese popular parties/celebration at Lunéville raised up.

More info, here: http://www.ihce.eu/fr/les-prochaines-dates.html  Everybody is welcome!

lucchesi-18-Nov-Luneville

RDV du Dimanche with Emmanuel Mbolela @ Centre de Documentation sur les Migrations Humaines

Last week I came for the first time, after arrived in Luxembourg, to the Centre de Documentation sur les Migrations Humaines – a trés sympas building at the Gare-Usine, in Dudelange (it is very easy to get there), with space for exhibitions, conference room, library and an interesting archive (not only on Italian and Portuguese Migration!).

I will write more about this visit to the Centre Doc (this is, I realize, the abbreviation that the friends of the CDMH use 🙂 ) and the tour at the Quartier Italie I did yesterday in a further opportunity. By now, if you want a quick view n the Quartier, you can see this link from the Institut Europeen des Itineraires Culturels, or this 4 pages dossier, by Antoinette Reuter, who is herself a historian, collaborator of the Centre Doc, and has been engaged with the subject of migration for long time now.

Today I write to tell about the meeting they will have this Sunday, which has as a guest Emmanuel Mbolela, with an autobiographic book on his politic activities in the République Démocratique du Congo, and the huge repression that forced him to emigrate. A touching account on the violence and the exploitation he faced in his journey,  crossing the Sahara, then arriving in Morocco, where he became co-founder of an association of Congolese refugees. After four years, he acquired refugee status in the Netherlands, where a new chapter began, with other experiences and challenges to face, as, for example, the  extremely harsh working conditions, which are subject mainly immigrant workers.

Emmanuel Mbolela will tell us his story and a bit about the book in a especial lecture this Sunday (08/Nov), 15:00h, at the Centre de Documentation sur les Migrations Humaines. ALL INVITED! The event is bilingual, German and French.

I will be there.

More information:

“Mein Weg vom Kongo nach Europa: Zwischen Widerstand, Flucht und Exil”
Lesung von Emmanuel Mbolela

1484977370585

If you want to be aware about the future cultural activities of the Centre Doc, subscribe yourself to the Newsletter / Liste de difusion here

6e Assises de l’historiographie luxembourgeoise

I am happy to share the upcoming event on the Historie du Temps Présent at the University of Luxembourg (UL). The Assises will be opened by a conference of Pieter Lagrou, from the Université Livre de Bruxelles, on November 19, 19:00, and the last session will be on November 21, in the afternoon, with a discussion about Media and Popular History, in which my supervisor, Prof. Andreas Fickers will give a talk together wth his colleague Paul Lesch, also from UL.

I am interested in attending it, not only because of my interest in the migration discussion in Luxembourg – which will be an issue for at least one session – but bescause the theme of the event itself, as it has been something of interest to me since my undergrad in Brazil: o Tempo Presente. I would like my colleagues from the Grupo de Estudos do Tempo Presente to be here, and join us in the discussion, even if the focus is the Luxembourgish Historiography.

You can find the full program below (click to enlarge), or access it here.

Registration by e-mail, contact: Elisabeth Boesen elisabeth.boesen@uni.lu

6e-Assise-Historiographie

Spread the word! 🙂

#CFP: IFPH-FIPH 3º Conferência Anual, Bogotá, Colômbia, 7, 8 E 9 de julho, 2016

Chamada de trabalhos*

Prazo final para envio de propostas: 19 de outubro de 2015

IFPH: http://ifph.hypotheses.org/news

Foto: IFPH

(foto reproduzida de IFPH)

A história é uma questão pública. O conhecimento e prática histórica não se limitam aos ambientes acadêmicos. A história também é produzida e compartilhada de diversas maneiras por historiadores profissionais e não-profissionais. Museus e outros lugares de exposição, filmes e documentários, novelas históricas, aniversários e comemorações, re-enactments e living history, políticas públicas, comissões de justiça transicional, televisão, rádio, sites e mídia social, são alguns dos caminhos em que a história se faz viva. Todas essas configurações estimulam a interação e a colaboração com grandes audiências, fazendo dos historiadores historiadores públicos.

A terceira conferência anual internacional da Federação Internacional para a História Pública (IFPH) será realizada na Universidade de Los Andes, em Bogotá, Colômbia, de 7 a 9 de de 2016. Seu objetivo é abrir um espaço para dar visibilidade e compartilhar as práticas e habilidades inovadoras que historiadores públicos em todo o mundo usam criativamente na sua prática diária. A história é cada vez mais produzida através de projetos colaborativos que são usados ​​para diferentes propósitos políticos, econômicos e culturais, definindo, muitas vezes, identidades coletivas ao longo do caminho. Além disso, a história pública explora, desafia e discute o papel dos historiadores, e recentemente atraiu atenção global. Neste sentido, a Conferência também abre espaço para discutir o escopo, os objectivos e desafios, entre outras questões críticas levantadas pela história pública e pela história como um campo geral.

Criada em 2011, a IFPH visa a construção de uma comunidade internacional e multi-lingual de praticantes. O papel da IFPH é promover o desenvolvimento da história pública em todo o mundo, criando e coordenando redes, promovendo ensino, pesquisa e todo o tipo de atividade engajando o público com o passado, a história e memórias individuais e coletivas.

A conferência internacional da IFPH em Bogotá vai reunir profissionais, especialistas e ativistas de todo o mundo para discutir e compartilhar suas experiências nos diversos desafios e recompensas envolvidos no engajamento com o público para difundir o conhecimento histórico. A conferência não será limitada a um tema específico, mas, pelo contrário, vai abranger as mais diversas atividades de história pública. Assim, as propostas poderão apresentar exemplos de engajamento dos historiadores com as comunidades através de diferentes meios de comunicação, construindo diferentes formas de narrativas e analisando diferentes usos públicos do passado.

SONY DSC

Museo del Oro, Bogotá, 2011 (foto reproduzida de IFPH)

Possíveis práticas e temas podem incluir:

  • Museus e Exposições
  • História Oral e Projetos Comunitários
  • História Pública Digital
  • Mídia Digital, Internet e Conhecimento Participativo
  • Mapeamento e representações visuais do passado
  • Vídeos e documentários
  • Ficção histórica
  • Re-enactments e “Living History”
  • Preservação Histórica e Patrimônio Cultural da Comunidade
  • Arqueologia Pública
  • Mídia Social, Mobile App e conteúdos gerados pelo usuário
  • Políticas Públicas e História Aplicada
  • Ensino de História Pública
  • Quem são os historiadores públicos na América Latina?
  • Como promover a história pública como disciplina na América Latina?
  • Passados difíceis que interagem com o presente: Historiadores e Justiça Social, Direitos Humanos, Comissões de Verdade e Justiça de Transição?

Apresentações em inglês ou espanhol serão aceitas durante a conferência, mas todas as propostas devem ser escritas em Inglês. Inglês é fortemente sugerido como o idioma principal para apresentações.

Tanto trabalhos individuais, como propostas de sessão (90 minutos cada) são bem vindas. Propostas de sessões deve incluir um resumo geral para a sessão, bem como os resumos de todos os trabalhos individuais.
Prazo final para o envio de todas as propostas é 19 de outubro de 2015.

Também haverá sessões de pôsteres nes conferência em Bogotá, mas chamada e prazo diferentes.

Por favor, envie a sua proposta de não mais de 150 palavras, bem como qualquer outro questionamento, para o seguinte e-mail: ifph2016@uniandes.edu.co

Comissão organizadora:
Gennaro Carotenuto (Università di Macerata, Itália)
Thomas Cauvin (Universidade de Lafayette, EUA)
David Dean (Universidade Carleton, Canadá)
Anita Lucchesi (Université du Luxembourg, Luxemburgo)
Serge Noiret (Instituto Universitário Europeu, Florença, Itália)
Anaclet Pons (Universitat de València, Espanha)
Camilo Quintero (Universidad de los Andes, Colômbia)
Philip Scarpino (Indiana University-Purdue University Indianapolis – IUPUI, EUA)
Isabelle Veyrat-Masson (CNRS, França)

Comissão local:
Camilo Quintero (Universidad de los Andes, Colômbia) <cquinter [at] uniandes.edu.co>
Angela Maria Aristizabal Borrero (Universidad de los Andes, Colômbia) <am.aristizabal10 [at] uniandes.edu.co>

*Tradução livre da chamada original, disponível aqui, por Anita Lucchesi.

II Seminário Debates do Tempo Presente: Educação, Guerras, Extremismos

Debates2014

No próximo mês (10 a 12 de dezembro), a Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) vai receber o II Seminário Debates do Tempo Presente, promovido pelo Grupo de Estudos do Tempo Presente (GET-UFS) e pelo Programa de Pós-Graduação em Educação da UFPE (PPGE-UFPE). Este ano, o evento abordará a tríade Educação, Guerras, Extremismos.

Com variada oferta de Simpósios Temáticos, o evento promete uma atmosfera de convivência e debate positiva para trocas sobre a História do Tempo Presente (claro!), mas também para a História Pública, fazendo pontos com cinema, literatura e artes, ensino de história, relações internacionais, mídias e, para a alegria desta que vos escreve, história digital (ver ST 08). 😉

Pelo novo cronograma, o prazo para inscrições é 16 de novembro. Mais informações no site do evento.

Confira abaixo os Simpósios Temáticos

ST 01 – “História, Literatura e Arte”
Coordenadores: Profa. Dra Marizete Lucini (PPGED/GET/UFS)
Prof. Dr.Fábio Alves dos Santos (DED/UFS)

O simpósio temático História, Literatura e Arte propõe-se a acolher trabalhos que discutam aspectos da narrativa histórica e da narrativa de ficção como gêneros que comunicam experiências temporais. Nesse sentido, reflexões sobre romance, cordel, poesia, cinema, música, biografia e contos são aqui compreendidos para além de sua característica documental. Mais que documento, a literatura, o cinema, a poesia, o cordel, o conto, o romance e a música possibilitam ao leitor/ouvinte vivenciar diferentes experiências. Experiências que podem ser reinterpretadas, permitindo aos leitores/ouvintes estabelecerem relações de pertencimento e de identificação com os textos acessados, bem como permitem aos sujeitos do presente, habitar o passado e transformá-lo em memória. Memória que também o constitui como sujeito histórico no presente. Sujeito que se compõe a partir dos múltiplos agenciamentos de subjetividades experienciados nas diversas interações sociais que constituem sua singularidade.


ST 02 – “Produção e usos escolares da história do tempo presente”
Coordenadores: Prof.Dr. Itamar Freitas (PPGED/Rede Tempo Brasil/GETUFS)
Prof.Dr. Lucas Victor Silva (Rede Tempo Brasil/UFRPE)
Prof.Dr. Francisco Egberto Melo (URCA)

Este simpósio temático acolhe resultados de pesquisas que relacionem as expressões “tempo presente” e “usos da história”, sobretudo em sua dimensão escolar. Aqui, reiteramos a nossa preocupação com as diferentes noções de presente, as formas de organização desse presente nos currículos, nos livros didáticos e na historiografia de síntese voltada para o público adulto que fundamenta, em grande medida, a historiografia consumida pelos alunos da escolarização básica no Brasil e no exterior.


ST 03 – “ História, Cinema & Tempo Presente”
Coordenadores:
Prof.Dr. José Maria Neto (UPE)
Profa.Dra. Andreza S.C.Maynard (DCR-FAPITEC/GET/Pós-Doutoranda PPGH/UFRPE)

Discutir as aplicações do cinema na formação da cultura histórica, buscando, assim, estabelecer diálogos entre a disciplina e a arte cinematográfica, e estabelecendo trilhas e percursos para a utilização do cinema como elemento para a compreensão da recepção das eras históricas e também para o ensino desta disciplina.


ST 04 – “Educação Colonial, Catolicismo e Salazarismo”
Coordenadores: Prof.Dra. Giselda Brito Silva (Rede Tempo Brasil/ PPGH/UFRPE)
Prof.Ms.Carlos André Silva de Moura (UNICAMP)

Durante o período do salazarismo as produções historiográficas se esforçaram para legitimar as relações do regime com as colônias africanas, como justificativa de “civilizar o indígena”. Além da alfabetização, a ação defendia a constituição linguística em comum como condição para o desenvolvimento das colônias. A formação doutrinária da juventude também foi fundamental para a organização das instituições autoritárias, como a Mocidade Portuguesa e Legião Portuguesa, com a meta de educar “sob a medida das necessidades do regime”. No particular da educação da Juventude Salazarista aos interesses do império colonial, o Estado Novo contou particularmente com intelectuais e católicos militantes que circulavam entre Brasil e Portugal. Nossa proposta de simpósio temático é abrir um espaço de debate para os estudos das relações nos dois países, política e catolicismo e suas práticas no campo educativo.


ST 05 – “História e Relações Internacionais: debates e problemas”
Coordenação:
Prof. Dr. Daniel Chaves (Unifap/Rede Tempo Brasil)
Prof. Dr. Lucas Pinheiro (NURI/UFS)

Diante do consagrado encontro entre as áreas de conhecimento da História e das Relações Internacionais, o objetivo deste Simpósio Temático é o de promover encontros entre pesquisadores sêniores e jovens, suscitar perspectivas inovadoras e recensear debates clássicos entre tais áreas e campos de discussão. Tanto ao historiador quanto ao internacionalista, bem como profissionais de áreas contíguas – sociólogos, cientistas políticos, economistas, entre outros – tal encontro buscará promover um duplo movimento: o da contextualização de discussões globais, por um lado, e o da internacionalização das discussões  regionais e brasileiras, por outro, afinando tendências emergentes e estabelecidas. Não menos importante, temáticas contemporâneas em corte histórico como Defesa, Segurança, Cooperação e Mundialização encontrarão espaço para articulação e destaque para a comunidade acadêmica presente.


ST 06 – Ensino de História do Tempo Presente
Coordenação:
Prof. Dr. Francisco Carlos Teixeira da Silva (UFRJ/UCAM/Rede Tempo Brasil)
Prof. Dr. Karl Schurster (PPGE- UFPE/ Rede Tempo Brasil)

A grande questão sobre o papel da escola no ensino das ditaduras e regimes de ódio se coloca perante os insucessos ocorridos em países – como Alemanha, Itália, Áustria e Espanha – onde, malgrado a excelência das condições escolares, o ensino, os currículos e os recursos pedagógicos não foram suficientes para formar uma nova juventude crítica e desvinculada de brutais atos de racismo e de violência, simbólica e física, contra o outro. Nas ruas, nos estádios de futebol, nos bares e mesmo em ambientes de trabalho, multiplicam-se atos de racismo e de exclusão. Daí a relevância, crucial, dos estudos e de debates sobre o papel da escola e do ensino da história contemporânea, no tocante às ditaduras modernas e seu caráter de ódio ao outro e a questão central que se coloca: estamos nós mesmos, no Brasil, construindo recursos pedagógicos necessários para a construção de uma convivência, presente e futura, fraterna e despida dos tremendo efeitos nefastos do racismo e da negação do outro? Conseguiremos superar, debater criticamente, o que já foi denominado de fascínio, die Schöneschein, de uma cultura da violência e da rejeição ao outro nas nossas escolas? Claro está, que não apenas os currículos e instrumentos pedagógicos disponíveis para os professores, resolverão, de per si, tais questões. O próprio estado geral da educação básica no Brasil, com seu ônus nas séries iniciais de alfabetização, é um elemento de incapacitação crítica, um óbice ao processo educacional como ato emancipatório, como queria Anísio Teixeira. Assim, esse simpósio busca propostas de pesquisam que se debrucem sobre o ensino de história do tempo presente, suas variadas formas e possibilidades, procurando entender limites e desafios para essa área de conhecimento.


ST 07 – Educabilidades políticas no tempo presente
Coordenadora: Profa.Dra. Adriana Maria Paulo da Silva (PPGE/UFPE)
Prof. Dr. André Ferreira (PPGE/UFPE)

Interessa-nos discutir as pesquisas a respeito das maneiras pelas quais os indivíduos e grupos têm operacionalizado intenções e propostas educativas, em ambientes escolares e não-escolares, tendo em vista a promoção de ações políticas (potencialmente transformadoras de alguma situação individual ou coletiva existente e/ou das ações sociais de grupos e/ou indivíduos) ou o fomento de estratégias de atuação política.


ST 08 – História Digital: conceitos, fontes, métodos e experiências
Coordenadores:   Prof.Dr. Dilton C.S. Maynard (PPGED-UFS/Rede Tempo Brasil)
Profa.Ms. Anita Lucchesi (Rede Tempo Brasil)

Este simpósio pretende congregar trabalhos que se dediquem a refletir sobre o estudo e a representação do passado a partir de novas tecnologias da comunicação, assim como a produção e a preservação de fontes digitais, considerando as potencialidades dos recursos digitais para a pesquisa e para o ensino da História. Esperamos colaborar para o debate sobre os desdobramentos da emergência dos registros digitais no ofício do historiador e sobre as transformações nas experiências de leitura, acompanhamento e argumentação em torno de questões históricas.


ST 09História, Mídias e Tempo Presente
Coordenadora: Sônia Menezes (URCA/Rede Tempo Brasil)

Este simpósio tem como objetivo refletir diferentes formas de escrita do passado na contemporaneidade: artes plásticas, séries e livros jornalísticos, séries de televisão, internet, novelas, materiais didáticos, documentários, jogos, fotografia, etc. Produtos que quase sempre se situam fora do campo científico da história e que se materializam em narrativas históricas de grande apelo social. Nossa intenção é abrir um espaço para trabalhos que investiguem tais produções e suas narrativas sobre o passado; pensar como estas interferem na compreensão histórica do nosso tempo.

ORIENTAÇÕES GERAIS: 

ENVIO DE RESUMOS PARA OS SIMPÓSIOS TEMÁTICOS via debates@getempo.org

As inscrições serão efetuadas mediante envio do resumo até 07 de novembro de 2014 para o e-mail debates@getempo.org. Confira as instruções abaixo:

  1. ATENÇÃO: O arquivo com o resumo deve ser enviado em formato doc ou docx (Word for Windows) e identificado da seguinte maneira: Nome e sobrenome do AUTOR e do CO-AUTOR (se houver)_CÓDIGO DO SIMPÓSIO. Ex: JULIA ASSAD e EDUARDO DENNIS_ST01

O arquivo deverá conter:

  1. Título do Trabalho em caixa alta, destacado em negrito, centralizado.
  2. Nome do autor e co-autor (se houver), destacado em negrito.
  3. Informações sobre o autor e co-autor (se houver): curso, instituição de 
fomento, e- mail.
  4. Será aceito apenas um trabalho em co-autoria.
  5. Nome e titulação do orientador e departamento ao qual pertencem, destacado em negrito.
  6. Simpósio selecionado (a indicação de um segundo simpósio temático, 
em caso de não aprovação no primeiro, é opcional).
  7. O resumo virá abaixo deste cabeçalho e deve possuir de 600 a 1000 
caracteres com espaçamento, contando ainda com três palavras-chave.

Os trabalhos serão avaliados pelo Comitê Científico do Seminário com base nos seguintes critérios:  a) Relevância e pertinência do trabalho;  b) Consistência na argumentação;  c) Respeito às normas de formatação estabelecidas pela Organização do evento Os trabalhos que não atenderem aos critérios acima serão AUTOMATICAMENTE EXCLUÍDOS.

Os trabalhos aprovados serão divulgados em 16 de novembro de 2014 através do site do evento: http://debates.getempo.org

NORMAS PARA PUBLICAÇÃO DOS TRABALHOS COMPLETOS:

Os trabalhos completos, juntamente com os comprovantes de depósito digitalizados, deverão ser enviados entre 17 e 26 de novembro para o e-mail debates@getempo.org, obedecendo às seguintes normas:
Cabeçalho: Título do Trabalho em caixa alta, destacado em negrito, centralizado; nome do autor e co-autor (se houver), destacado em negrito; informações sobre o autor e co-autor (se houver): curso, instituição de fomento e e-mail; nome e titulação do orientador e departamento ao qual pertence, destacado em negrito. Simpósio temático selecionado. O trabalho deve possuir de 8 a 12 páginas, fonte Times New Roman, letra tamanho 12, espaçamento 1,5, formatação justificada.
O sistema de citações será o AUTOR-DATA. As citações deverão ser indicadas no texto, informando o sobrenome do(s) autor(es) mencionados, na sequência (AUTOR, ano, página). Notas de rodapé poderão ser utilizadas apenas em caráter explicativo.

PAGAMENTO: valor único R$ 25,00

CONTA PARA DEPÓSITO IDENTIFICADO: Banco do Brasil Agência: 0673-4 Conta corrente: 44.103-1 ALANA DE MORAES LEITE

Oficina de História Digital no 2º Seminário de História Pública

Pessoal,

Aproveito o espaço do blog para divulgar a oficina “História Digital” que Bruno Leal e eu vamos ministrar no evento da Rede Brasileira de História Pública mês que vem, o Perspectivas da História Pública no Brasil. Aliás, há várias oficinas interessantes. História Oral e História Pública; Cinama/ Internet e Mídias Alternativas; Fotografia Mobile; História e Videogame. Confiram todas no site em Oficinas.

A nossa é a oficina nº 02 e acontecerá nos dias 10 e 11 de setembro, das 20h às 22h, na Universidade Federal Fluminense, em Niterói. Abaixo a apresentação:

OF02 – História digital

As chamadas “novas tecnologias da informação e da comunicação” (NTICs) vêm promovendo desde o início da década de 1990 um profundo reordenamento das relações sociais, da produção industrial, da concepção dos signos socioculturais, da política e, de uma maneira mais geral, de nossa maneira de experimentar e explicar a realidade, nossa relação com o tempo. Como essas “novas mídias”, em especial as mídias digitais, estão transformando a forma de se conceber a história e a historiografia? Como o ofício do historiador tem sido afetado por todas essas mudanças, principalmente aquelas ocasionadas pelo computador e pela Internet? Estas são algumas questões que serão exploradas na oficina “História Pública e Plataformas Digitais”, ministrada por Anita Lucchesi (Historiografia na Rede) e Bruno Leal (PPGHIS/UFRJ/Café História), no II Simpósio Internacional de História Pública.

A oficina será dividida em dois dias. No primeiro dia, Leal e Lucchesi, falarão sobre a relação dos historiadores com os computadores e a tecnologia de uma forma mais ampla, indo desde a chamada “história quantitativa”, nos anos 1960, até o surgimento da “história digital”. Após uma introdução ao debate da história/historiografia digital, a rede social Café História, projeto desenvolvido por Leal, será apresentada como caso de estudo no campo da história pública e digital. Já no segundo dia de oficina, os ministrantes vão explorar as evidências e possibilidades na história digital (escrita, divulgação, análise documental, ferramentas, formas narrativas etc.), além de um exercício original voltado para a produção de vídeos online.


Anita Lucchesi. Mestre em História Comparada (PPGHC/UFRJ) e professora de história. Pesquisadora do Grupo de Estudos do Tempo Presente (GET/UFS) e da Rede Brasileira de História Pública. Autora do blog “Historiografia na Rede” (2008), pesquisadora e redatora do documentário comemorativo @Rio450 no Instagram.

Bruno Leal. Doutorando em História Social (PPGHIS/UFRJ), Mestre em Memória Social (PPGMS/UNIRIO), historiador e jornalista. Tutor-Professor do curso de História EAD da Universidade Federal do Estado Rio de Janeiro (UNIRIO) e Fundador da Rede Social Café História. Consultor no campo das mídias sociais e educação a distância.

 

Último dia para Inscrições no Simpósio: Perspectivas da História Pública no Brasil

AS INSCRIÇÕES PARA TRABALHOS SE ENCERRAM HOJE, DIA 03 DE AGOSTO!

A Rede Brasileira de História Pública se reunirá entre 10 e 12 de setembro, na Universidade Federal Fluminense para o 2º Simpósio Internacional de História Pública. (Acompanhe também no Twitter #rebrahip2014 e no Facebook).

Aproveito  o espaço aqui do blog para divulgar as atividades voltadas para o nosso tema – História Digital – mas aviso que também haverá mesas redondas, oficinas e espaço para comunicações orais em diversos Grupos de Trabalho. Entre os temas em foco: História Oral, Historiografia, Biografia, Feminismo, Literatura, Jornalismo, Cinema, Fotografia, Mídia Alternativa, Narrativa, Comunidades, entre outros. 

Nas tardes dos dias 10, 11 e 12 de setembro, estarei, ao lado de Bruno Leal (UFRJ/Café História) e Prof. Ricardo Pimenta (IBICT/UFRJ) na coordenação do GT “História Pública e Plataformas Digitais”, que receberá trabalhos para apresentação oral.

Nas noites dos dias 10 e 11, das 20h às 22h, ministro junto com Bruno Leal (novamente parceiro) a oficina “História Digital”.

Por fim, estarei na mesa redonda “História, tempo presente e plataformas digitais“, com os professores Francisco Carlos Teixeira  (Universidade Federal do Rio de Janeiro), Massimo di Felice (Escola de Comunicações e Artes da USP) e Serge Noiret (European University Institute), que terá como debatedora a professora Márcia Ramos de Oliveira  (Universidade do Estado de Santa Catarina).

Venham debater e apresentar seus trabalhos. O GT está recebendo inscrições até dia 03/08!

história-publica-plataformas-digitais-gtProgramação completa abaixo, mais informações no site: http://historiapublica.com.br/simposio2014

 Quarta-feira,
10 de setembro
Quinta-feira,
11 de setembro
Sexta-feira,
12 de setembro
   9h30 Sessão oficial de abertura
   10h-12h Conferência de abertura
História oral e história pública, com Linda Shopes
Mesa redonda
História pública, comunidades e culturas populares
Mesa redonda
História pública: Lugares e narrativas
   12h-13h Sessões de comunicação
Experiências em História pública
Sessões de comunicação
Experiências em História pública
Sessões de comunicação
Experiências em História pública
   13h-14h Intervalo para almoço Intervalo para almoço Intervalo para almoço
   14h-17h30 Grupos de trabalho Grupos de trabalho Grupos de trabalho
   18h-20h Mesa redonda
A história e o público no Brasil
Mesa redonda
História pública e mídia
Mesa redonda
História, tempo presente e plataformas digitais
   20h-22h Oficinas Oficinas Sessão de encerramento e assembleia
Os próximos passos da Rede Brasileira de História Pública