Ferramentas

Historiografia Digital na Wikipédia

Após 15 dias de avaliação, o verbete “Historiografia Digital” que inseri como contribuição na Wikipédia em Língua Portuguesa foi aprovado para permanecer no site. O artigo criado em 04 de março foi inicialmente julgado incipiente e caracterizado como pesquisa inédita por alguns usuários desta wiki que decidiram levar a página à votação para ser eliminada. Quem é colaborador de wikis sabe como funciona.

A eliminação deveria ter ocorrido no dia 11 de março, mas foi prorrogada até o dia 19 (ontem) porque o número de votos a favor da eliminação da página não eram suficientes. O juízo atribuído à página baseava-se na falta de referências para o tema em português, fontes não verificáveis e o texto foi considerado confuso.

Como estava estreando nesta wiki eu confesso que não dominava (e ainda não domino) completamente todas as ferramentas para a formatação do texto, inserção de notas de rodapé, categorias e etc. Mas ao menos no que dizia respeito ao conteúdo e forma do texto, tentei melhorar. Enxuguei o texto a fim de torná-lo mais objetivo e também aberto para novas colaborações, pois a idéia justa-posta das wiukis é esta do texto com multi-autorias. E àquilo que pude ler em português (CASTELLS, DANTAS e SÁ) juntei as referências bibliográficas que eu tinha em italiano e inglês.

Anseio que este verbete seja bastante lido, criticado e melhorado. Sinto muito forte a necessidade de se estabelecer um debate acerca deste tema no Brasil.

Um dos usuários* fez o seguinte comntário na página de votação pela eliminação:

O artigo esta ficando cada vez melhor com o tempo, um principio da wiki é que devemos incentivar novos usuários a escrever artigos. Apagar um artigo com esta quantidades de informação é um balde de agua fria. Os links externos mostram que o tema não é incipiente. Algumas das biografias em portugues possuem 4 anos! Uma verificação da bibliografia e dos links externos mostram claramente que não é pesquisa inédita. (discussão) 16h03min de 12 de março de 2009 (UTC) Por favor, reflitam

Ao qual respondi com o comentário abaixo:

A idéia que eu tive em criar este verbete foi justamente a de, com o tempo, ir melhorando o artigo. Estou lendo a respeito deste tema (infelizmente em outros idiomas) pelo menos há 10 meses. Mantenho um blog sobre o assunto e estou começando um projeto de monografia sobre História e Internet que é, inevitavelmente, perpassado pela Historiografia Digital. O que escrevi, em primeiro instante, precisa ser melhorado, claro, e eu gostaria muito se outras pessoas se propusessem a fazê-lo. O assunto no Brasil é pouquissimo discutido, mas não penso que por isso seja incipiente. Faço um apêlo a quem puder ajudar melhorar o artigo e para aqueles que votaram pela exclusão, que reflitam. Nos Estados Unidos e na Europa o tema está muito a frente do que eu fui capaz de sintetizar neste artigo, porém, desejo imensamente que o assunto seja discutido no Brasil, não somente na academia, mas por todos. Julguei que a inclusão do artigo na wikipedia era uma bom caminho para incentivar isto.–Anita Lucchesi (discussão) 13h31min de 13 de março de 2009 (UTC)

Dito isto, penso que a intencionalidade da criação de tal verbete esteja colocada. Entretanto, quero ainda trazer mais um comentário, de um autor* diferente, para ilustrar como o assunto foi encarado. Os grifos são meus:

“O artigo foi bastante melhorado pela Anita Lucchesi D C E, mas ainda assim não o julgo enciclopédico; o tema ainda parece-me por demais incipiente, tanto que não existe nas outras wikis. Evidentemente posso estar enganado. 20h58min de 4 de março de 2009 (UTC)”

*preservo a identidade dos autores.

Considero importante agora colocar o link para a Wikipédia em Língua Inglesa: Digital History.

Por fim, copio e colo o verbete. Sintam-se convidados a colaborar!

Historiografia digital

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

A historiografia digital é uma das formas possíveis para abordar e analisar a historiografia utilizando as novas tecnologias de comunicação. É o estudo da escrita da História com o recurso à informática aplicada às Ciências Humanas.

O historiador que trabalha com esta ferramenta trabalha online, isto é, utilizando como ferramenta básica, um computador com acesso à internet. A Historiografia Digital tem como base os recursos que o mundo digital oferece, como o hipertexto, os bancos de dados e as redes sociais, que possibilitam criar e compartilhar o conhecimento histórico.

A historiografia digital complementa outras formas de historiografia, das quais absorve o rigor metodológico necessário para o exercício da compreensão de determinados acontecimentos na história, utilizando-se das modernas tecnologias de informação e da web.

Índice

  • 1 O ofício do historiador e o uso da internet
  • 2 Os primeiros passos da disciplina
  • 3 Bibliografia
  • 4 Ligações externas

O ofício do historiador e o uso da internet

O historiador que realiza uma pesquisa valendo-se da internet como um dos canais para chegar aos documentos e usando a mesma para posteriormente divulgar e compartilhar os resultados e fontes de referência de sua pesquisa já está, mesmo que inconscientemente, lançando mão da Historiografia Digital. Toda a produção historiográfica que foi afetada através da web, seja na sua fase de produção ou na de promoção, está já marcada pela força do digital. Discute-se muito atualmente quais seriam as efetivas questões relevantes que a Era Digital traz para o ofício do historiador. Os historiadores do século XXI não podem ser omissos neste debate, eles não podem deixar de se colocar questões a respeito de como as novas mídias sociais e as tecnologias da informação e comunicação estão afetando o aprendizado e o ensino da disciplina nas diferentes instituições. No Brasil, porém, a disucussão à respeito deste tema ainda está bem reduzida, o que explica também o número reduzidos de fontes no nosso idioma.

Torna-se necessária a reflexão sobre as transformações que a sociedade vem sofrento nos últimos 30 anos, sobretudo nos últimos 20, depois da invenção do World Wide Web. O historiador francês Roger Chartier, especialista em história da leitura, por exemplo, atenta para o futuro dos livros na era da informação. O mercado editorial e os diferentes jornais e revistas também já se preoupam em se adequar ao novo estilo de vida das pessoas, basta que atentemos para o número de informativos online, revistas que disponibilizam também conteúdo extra, espaços que permitem a interatividade do leitor, maior liberdade para dispor de outras mídias para complementar notícias (som, imagem e videos), que acabam por transformar a relação do leitor om a informação. Até mesmo as tradicionais telenovelas, que costumam atingir uma enorme público nas televisões brasileiras já estão acompanhando as mudanças, algumas emissoras possibilitam que capítulos possam ser revistos online, pedem a opinião dos telespectadores sobre a história e modificam também esta relação público e personagens, antes tão distante. Existem também as webséries, espécie de seriados televisivos produzidos e reproduzidos exclusivamente na web.

Os primeiros passos da disciplina

A assim dita Historiografia Digital, entretanto, não possui ainda um léxico técnico sedimentado ainda, o que dificulta ainda mais a aceitação dela por parte de historiadores de gerações anteriores à nossa, uma vez que o debate acerca do tema, não havendo ainda uma nomenclatura bem definida, parece ainda frágil e incipiente. Apesar disto, em muitos países o estudo da informática aplicada às ciências humanas é já bastante difundido e nos Estados Unidos e na Inglaterra, por exemplo, já vem sendo estudada a Digital History – terminologia corrente utilizada em inglês – de forma sistemática e organizada. A universidade norte-americana George Mason, na Virgínia, por exemplo, possui um centro voltado somente para o estudo sobre a história e novas mídias, o Center for History and New Media, que além de ser referência no tema pela elaboração de ferramentas e desenvolvimento de projetos, oferece uma vasta bibliografia a respeito, a começar pelo volume considerado indispensável como texto base e introdutório sobre Historiografia Digital “Digital history: A Guide to Gathering, Preserving, and Presenting the Past on the Web”, de Daniel J. Cohen e Roy Rosenzweig. Também é possível encontrar em língua italiana um volume que reune textos de 04 diferentes autores sobre o tema, que é o “Storiografia Digitale”, curado por Dario Ragazzini que contém texto dele mesmo e de Serge Noiret, Monica Gallai, Luigi Tomasini e Stefano Vitali, no qual discutem as novas problemáticas dos estudos históricos diante da revolução informática.

Bibliografia

Ligações externas

————————————————————————————————————————————————-
————————————————————————————————————————————————-

The Virtual Library History Project e The WWW-VL History of Brazil

Nao sei se voces conhecem o grande Index do Virtual Library History Project, o WWW-VL History Central Catalogue. Eu até pouco tempo, admito, que nao conhecia. Mas por conta da minha pesquisa (Digital History, Historia e Social Medias, enfim, tudo o que trata o Historiografia na Rede) estive em contato com um professor que é grande entendedor do assunto, prof. Serge Noiret, que ao final da nossa conversa me apresentou o projeto. [Alias, sobre a minha visita ao “ufficio” deste professor devo relatar quao grande foi o meu encanto ao me dirigir para o Instituto Universitario Europeu, onde ele fica: o lugar é lindo! Tem uma paisagem esplendida de Firenze e fica a poucos minutos do centro, porém bem em meio ao verde na Badia Fiesolana. Deve ser bem bom trabalhar ali!] Voltando: entao me foi apresentado este programa, que existe desde 1993 e acabei depois me comprometendo em fazer o index do Brasil, o jovem jovem WWW-VL History of Brazil

O portal central deste projeto é uma grande pagina com redirecionamento para portais individuais destinados a apresentar e manter atualizado um catalogo de sites de referencias sobre um pais (Historia, Biografia, Principais canais de pesquisa, etc) ou um tema em geral (Trabalho, Mulher, Historia). A qualidade do portal o transformou neste tempo em uma grande referencia, ao buscar pela historia de um pais (ex. “Italian History) no Google certamente voce se defrontarà com um link para a pagina do programa bem ao topo. Respeitavel e reconhecido, o Virtual Library Project é coordenado pelo Prof. Serge Noiret e mantido com a participaçao e colaboraçao de uma grande comunidade de “manteiners”, pessoas que desenvolvem e mantem um destes sites-catalogos. E’ um exemplo que o trabalho em conjunto na rede da (muito) certo e rende bons frutos.

Este ano o portal sera renovado com o objetivo se selecionar e manter os melhores portais agregados. O meu “piccolo” Index da Historia do Brasil ainda tme muito o que crescer e ser melhorado. Quero acrescentar ainda muitos links de referencia e penso em propor uma troca de links. A intençao destas paginas é ajudar nao so quem busca informaçoes de um pais para fins de viagens e turismo, como para estudo. O enfoque maior, claro, é em Historia.

Confesso que achei que seria mais facil fazer um levantamento de sites sobre Historia do Brasil, mas me deparei e me deparo todo santo dia com uma quantidade enorme de sites com conteudo nao muito confiavel e os linksmais cotados do googleas muitas das vezes nao significam que sejam de qualidade. E’ dificil achar uma produçao academica e também se sentir tranquilo de confiar na seriedade de alguns sites. Estou apenas acenando para um problema que na internet nos deparamos frequentemente, qual seja, esta enorme dificuldade em distinguir os sites realmente produzidos por historiadores e/ou estudantes e/ou intelectuais de outras areas,mas com comprometimento ético e academico, dos sites produzidos pelos escritores “comuns”, pelos amadores. Como fazer? Sobre este problema me falou bastante o prof. Stefano Vitali (do Arquivo de Estado de Firenze), um homem que tem muito presente esta problematica e tem se dedicado bastante aquestoes como a do Web 2.0 relacionado às humanidades, segundo ele é, este é apenas um dos agravantes (por exemplo) no caso das, muitas das vezes, incriteriosas pesquisas que nossos estudantes de Ensino Fundamental e Medio ou um internauta desavisado pode acabar fazendo e sendo erroneamente informado por este tipo de sites que se propoem a falar de Historia sem um compromisso com a ciencia.

Quem quiser torcar link com o WWW-VL History of Brazil basta me mandar um e-mail.

Visitem, critiquem, sugiram!

Zotero

Dica:

Estou começando a utilizar o Zotero. Estou com este programa no computador há pouco menos de um mês, ainda não sou “craque” para utilizá-lo aproveitando todas as suas funcionalidades, mas recomendo para os colegas que quiserem experimentar esta excelente ferramenta que os auxiliará na coleta, organizaçao e – se quiser -– a compartilhar os resultados da sua pesquisa.

Zotero foi desenvolvido pelo Center for History and New Media.