Cadernos do Tempo Presente

Chamada para Cadernos do Tempo Presente (GET/UFS) – “Qualis B2”

[REPASSANDO: CHAMADA PARA ARTIGOS E RESENHAS DO CADERNOS DO TEMPO PRESENTE]

Imagem

O Grupo de Estudos do Tempo Presente – GET, ligado ao Departamento de História da Universidade Federal de Sergipe, responsável pela revista eletrônica trimestral dos Cadernos do Tempo Presente (QUALIS B2), informa a todos os interessados em apresentar  artigos e resenhas  para publicação que continua recebendo artigos e resenhas em fluxo contínuo. Seguindo a própria composição do GET, serão bem-vindas produções de historiadores, geógrafos, cientistas sociais, filósofos, jornalistas, economistas, psicólogos, estudiosos das relações internacionais, dos meios de comunicação e demais áreas das ciências humanas.

 

Normas para Publicação nos Cadernos do Tempo Presente

  As normas a serem obedecidas consideram:

Artigos: São textos de fôlego, resultado de pesquisa bibliográfica ou arquivística. Necessariamente atenderão às normas e formas de referência de costume no ambiente acadêmico, cuja argumentação e defesa de hipóteses, problemas ou objetos serão cuidadosamente realizados. É fundamental, neste caso, o envio de abstract em inglês unicamente.

Resenhas: São trabalhos concisos, de recensão de textos, filmes, livros, sítios eletrônicos ou outras fontes/obras, com normas e formas de referência de costume no ambiente acadêmico, com identificação objetiva dos objetos recenseados. Serão aceitas apenas as resenhas de obras dos últimos 4 (quatro) anos. Solicitam-se materiais com no mínimo 2 laudas  e no máximo 4 laudas

 

Atenção: Além de obedecerem as normas de referência da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).Os trabalhos devem estar adequados ao formato dos Cadernos do Tempo Presente, satisfazendo os seguintes requisitos:

 

1.Tipo de letra: Times New Roman

2.Tamanho da letra: 12

3.Espaçamento entre linhas: 1,0.

4.Tamanho da letra para citações destacadas: 10.

5.Não devem utilizar o formato autor-data, mas as referências devem vir em forma de notas ao final do texto, antes apenas da bibliografia.

6.Título do texto em negrito. Frase em letra minúscula.

7.Abaixo do título deve vir apenas o(s) nome(s) do(s) autor(es) alinhado(s) à direita.

8.Resumo: espaçamento entre linhas: 1,0.

  • Até 1.000 caracteres com espaço. De 3 a 5 palavras-chaves.
  • Os artigos devem conter um resumo em português e um resumo em inglês obrigatoriamente. Não serão aceitos outro idioma exceto estes.
  • O abstract deve vir acompanhado do título do trabalho em inglês, negrito, justificado, com frase em letra minúscula.

9.Os artigos não devem conter imagens. Serão aceitos somente tabelas ou gráficos para os artigos nos quais estas sejam indispensáveis ao entendimento dos mesmos.

10.Anexado à resenha, deve ser enviado um segundo arquivo contendo a imagem do documento resenhado.

11.Notas: letra Times New Roman, tamanho 10.

  • Espaçamento entre linhas e entre notas 1,0.
  • Devem vir obrigatoriamente em algarismo romano (Ex.: I, II, III…), letra maiúscula (ex: XXI), formato sobrescrito. Não serão aceitas as notas em romano que vierem em letra minúscula (ex: xvii). 
  • Devem vir ao final do artigo, antes apenas da bibliografia. Não serão aceitas notas de rodapé.
  • Não deve haver uma linha separando o tópico “Notas” do texto.
  • A(s) primeira(s) nota(s) obrigatoriamente deve(m) conter os dados do(s) autor(es), com até 360 caracteres com espaço. Se o texto for proveniente de financiamento de pesquisa, ou adaptado de uma palestra, o autor deve explicar isso na mesma nota que constará seus dados pessoais.

Ex: IMestranda em História pela UFRJ. Este texto foi produzido com financiamento da FAPITEC/SE. 

Serão recusados os textos que descumprirem estas normas. Os trabalhos devem ser enviados pelo endereço eletrônico:  caderno@getempo.org e estarão sujeitos a parecer técnico-científico. Conforme a agenda dos Cadernos do Tempo Presente a resposta para a candidatura será enviada em até 120 (cento e vinte) dias. 

Atenciosamente,

Prof. Dr. Dilton Cândido Santos Maynard (Editor Chefe)

Prof.ª Karla Karine J. Silva (Editora)

Prof.ª Monica C. Santana (Editora)

Prof.ª Débora Souza Cruz (Editora)

Jornalista  Carole Ferreira da Cruz (Editora)

Luyse Moraes Moura (Editora Jr.)

Raquel Anne Lima de Assis (Secretária)

Diego Leonardo Santana Silva (Diagramador Jr.)

Marlíbia Raquel de Oliveira (Diagramadora Jr.)

Diacronie n. 12 Sulle tracce delle idee: “Sopravviverà la storia all’ipertesto?”

É com prazer que compartilho com vocês meu primeiro artigo publicado em Italiano sobre a relação entre História e Digital.

Este artigo é fruto da reelaboração de algumas ideias que eu já havia desenvolvido em “Histórias no Ciberespaço: viagens sem mapas, sem referências e sem paradeiros no território incógnito da Web”, nos Cadernos do Tempo Presente, e em minha fala nas “VIII Jornadas de Historia Moderna y Contemporánea” em Buenos Aires, novembro passado, “Do texto ao hipertexto: notas sobre a escrita digital da história no século XXI“.

(en) I am pleased to share with you my first article published in Italian on the relationship between “History” and “Digital”.

This article is the result of the reworking of some ideas I had developed in “Histórias no Ciberespaço: viagens sem mapas, sem referências e sem paradeiros no território incógnito da Web”, in Cadernos do Tempo Presente, and in my talk in the “VIII Jornadas de Historia Moderna y Contemporánea”, in Buenos Aires, last November, “Do texto ao hipertexto: notas sobre a escrita digital da história no século XXI“.

“Sopravviverà la storia all’ipertesto?”. Qualche spunto sulla scrittura della storia ai tempi di internet

“Plongeoir malgache (b&w version)” by REMY SAGLIER – DOUBLERAY on Flickr (CC BY-NC-ND 2.0)

“Plongeoir malgache (b&w version)” by REMY SAGLIER – DOUBLERAY on Flickr (CC BY-NC-ND 2.0)

Abstract (en): This paper examines theoretical and methodological aspects related to the writing of history in the Digital Age. It’s a sort of introduction on some issues and problems on the relationship between history and the Internet in the early years of the century (2001-2011). We highlight mainly problems concerning the use of historical sources and documents available in cyberspace. It’s especially about issues regarding the use of hypertext as a new way for a reference system more virtual than the classical footnotes system.

Keywords: History, Digital History, Internet, Hypertext, cyberspace.

Abstract (it): L’articolo analizza aspetti teorici e metodologici relativi alla scrittura della Storia nell’era digitale. Si tratta di un approccio di carattere introduttivo ad alcune tematiche e problemi propri delle relazioni tra storia e internet nei primi anni del secolo XXI (2001-2011). Verranno analizzati, principalmente, i problemi relativi all’utilizzo delle fonti storiche e documentarie disponibili nel cyberspazio. Analizzeremo, soprattutto, le questioni relative all’uso del ipertesto come nuovo percorso per un sistema di riferimenti, per quanto virtuale, rispetto alle classiche note a piè di pagina.

Parole chiave: storia, storiografia digitale, internet, ipertesto, cyberspazio.

Ref: Lucchesi, Anita, «“Sopravviverà la storia all’ipertesto?”. Qualche spunto sulla scrittura della storia ai tempi di internet», Diacronie. Studi di Storia Contemporanea, N. 12, 4|2012

URL: <http://www.studistorici.com/2012/12/29/lucchesi_numero_12/&gt;

Cadernos do Tempo Presente navegando em águas profundas

Feliz em noticiar que os Cadernos do Tempo Presente do Grupo de Estudos do Tempo Presente (CTP-GET) chegam à sua 10ª edição anunciando parceria com a revista Italiana Diacronie – Studi di Storia Contemporanea (ISSN 2038-0955). Leitora dos dois periódicos, não tenho dúvidas de que esta novidade tende a promover um excelente intercâmbio de ideias. Super saudável e notável que um periódico digital brasileiro aproveite as possibilidades de colaboração trazidas pela internet para realizar este tipo de ponte. Da parte de Diacronie, já conhecida por sempre trazer textos extra-Itália, parece que a parceria com outro periódico eletrônico, só tende a reforçar ainda mais este perfil aberto de suas ediçõe, desta vez, cruzando virtualmente o Atlântico.

Curioso é que ambas as revistas estão regulando, mais ou menos, em número de edições (CTP no seu n. 10 e Diacronie em seu n. 11). Muito bom! Para além da afinidade temática, de ambos os lados, temos ainda um longo caminho de crescimento pela frente.

Parabéns ao CTP, já Qualis B2 este ano, por mais esta edição, como sempre, trazendo questões que pertubam nosso Tempo Presente, com pitadas de História Cultural e também uma levada de Teoria e Metodologia da História (que tanto me apraz!).

Meu reconhecimento vai, em especial, para a equipe que faz o CTP acontecer, com muito suor (mesmo no ar condicionado!), empenho e dedicação. Aos colegas: Karla Karine de Jesus Silva, Monica da Costa Santana, Carole Ferreira da Cruz, Luyse Moraes Moura, Diego Leonardo Santana Silva, Raquel Anne Lima da Silva, e claro, o coordenador desse timão, Prof. Dilton Cândido Santos Maynard, mais todo PET-UFS que dá suporte e incentiva o CTP. Parabéns por esse brilhante 2012, pessoal!

***

Daqui dos bastidores, obrigada também ao prof. Serge Noiret (IFPH/EUI) por ter indicado os Cadernos do Tempo Presente à Jacopo Bassi (editor de Diacronie).

Qui dal backstage, grazie anche al prof. Serge Noiret (IFPH/EUI) per aver raccomandato i Cadernos do Tempo Presente a Jacopo Bassi (editore Diacronie).