Informação

5 Big Data Projects That Could Impact Your Life

O que podemos fazer com “big-data”?

Ver: 5 Big Data Projects That Could Impact Your Life

Estimulante o post de Eric Larson no Mashable sobre curiosos projetos que trabalham com big-data, ou seja, tratam informática e digitalmente quantidades imensas de informações (humanamente, inapreensíveis para uma pessoa só, diga-se de passagem) que podem acabar oferencendo resultados bem interessantes. Para o caso da História, em particular, vale pensar no que pode dar o cruzamento do Geographic Information System (GIS) com dados sobre o passado.

O artigo cita o projeto Interactive Gettysburg: Modern Maps Reframe History, mas nessa direção vale também conferir o Montréal l’avenir du passé (MAP).

A respeito do MAP, vale conferir o artigo de Robert Sweeny sobre as oportunidades que se abrem ao se cruzar as fronteiras disciplinares e trabalhar em um ambiente colaborativo, intermediado pela tecnologia, como no diálogo entre História e Geografia de MAP: Rethinking Boundaries: Interdisciplinary Lessons from the Montréal l’avenir du passé (MAP) Project.

O MUNDO AMANHÃ: por Júlio Assange

Via Vírus Planetário

Chegou ao fim a série de entrevistas dividida em 12 episódios, feitas pelo militante e criador do WIKILEAKS, Julian Assange, com figuras relevantes na política internacional.

Todas as entrevistas foram publicada na íntegra pela Revista Virus Planetário, em parceria com a Pública.

Abaixo, link para os episódios traduzidos no Revista Virus Planetário:

Episódio 1: O mundo Amanhã – Hassan Nasrallah

Neste episódio Assange entrevista o secretário-geral do Hezbollah.

Episódio 1 - Assange entrevista Sayyed Hassan Nasrallah

http://www.virusplanetario.net/o-mundo-amanha-por-julian-assange-episodio-1/

Episódio 2: O Mundo Amanhã: Comunista X Sionista

O Criador do Wikileaks recebe o intelectual esloveno Slavoj Žižek e conversam com um dos líderes da direita americana, David Horowitz.

http://www.virusplanetario.net/o-mundo-amanha-comunista-x-sionista/

Episódio 3: O Mundo Amanhã: Marzouki, um rebelde na presidência

Nesta entrevista, Julian Assange conversa através de medialink com o presidente da Tunísia, o ex-exilado Moncef Marzouki.

http://www.virusplanetario.net/o-mundo-amanha-marzouki-um-rebelde-na-presidencia/

Episódio 4: O Mundo Amanhã: A Primavera continua

No quarto episódio da série, Julian Assange entrevista Alaa Abd El-Fattah e Nabeel Rajab, lideranças importantes da Primavera Árabe no Egito e no Bahrein.

http://www.virusplanetario.net/o-mundo-amanha-a-primavera-continua/

Episódio 5: O Mundo Amanhã: As vozes de Guantánamo

No quinto episódio da série, Julian Assange entrevista Moazzam Begg, ex-detento de Guantánamo, e Asim Qureshi, advogado que largou o mundo corporativo para lutar contra os abusos da guerra ao terror.

http://www.virusplanetario.net/o-mundo-amanha-as-vozes-de-guantanamo/

Episódio 6: O Mundo Amanhã: Rafael Correia

Em entrevista feita por videolink para a série “O Mundo Amanhã” no começo de 2012, Assange revela que o governo equatoriano procurou o WikiLeaks, na época do vazamento, pedindo que publicasse todos os documentos diplomáticos.

http://www.virusplanetario.net/os-documentos-do-wikileaks-nos-fortaleceram-diz-correa/

Episódio 7: O Mundo Amanhã: Ocupando as Ruas

Na sétima entrevista da série, Julian Assange conversa com integrantes do movimento Occupy de Londres e Nova York sobre as origens, as propostas e os resultados das manifestações

http://www.virusplanetario.net/o-mundo-amanha-ocupando-as-ruas/

Episódio 8: O Mundo Amanhã: Guerra Virtual

No oitavo episódio da série, Julian Assange se junta aos seus companheiros de armas, os criptopunks, virtuosos cyberativistas que lutam pela paz na internet. E avisam: não haverá paz sem liberdade.

http://www.virusplanetario.net/o-mundo-amanha-guerra-virtual/

Episódio 9: O Mundo Amanhã: Guerra Virtual, Parte 2

O nono episódio da série O mundo Amanhã continua com os Criptopunks, ativistas da liberdade de informação na internet, Jacob Appelbaum, Andy Müller-Maguhn, Jeremie Zimmerman e, claro, Julian Assange, no papel de advogado do diabo. “Trole-nos, mestre troll”, brinca Jacob.

http://www.virusplanetario.net/o-mundo-amanha-guerra-virtual-parte-2/

Episódio 10: O Mundo Amanhã: A guerra não declarada no Paquistão

Ao longo de 25 minutos Julian Assange recebe Imran Khan, que nos anos 70 e 80 foi capitão do vitorioso time de críquete do Paquistão, para conversar sobre corrupção, Osama Bin Laden, soberania e bombas atômicas. Isso porque hoje Khan está na corrida para se tornar o próximo presidente do país nas eleições de 2013, liderando a oposição com o partido que criou, o Movimento para Justiça, que combate a corrupção no país.

http://www.virusplanetario.net/o-mundo-amanha-a-guerra-nao-declarada-no-paquistao/

Episódio 11: O Mundo Amanhã: Noam Chomsky e Tariq Ali

Noam Chomsky, renomado linguista e pensador rebelde, e Tariq Ali, romancista de revoluções e historiador militar, encontram na Primavera Árabe questões sobre a independência das nações, a crise da democracia, sistemas políticos eficientes (ou não) e a legião de jovens ativistas que tem se levantado para protestar no mundo todo.

http://www.virusplanetario.net/o-mundo-amanha-noam-chomsky-e-tariq-ali/

Episódio 12: O Fim do Mundo Amanhã

Em busca de ideias poderosas que podem transformar o mundo, o fundador do WikiLeaks se depara com um caso que guarda semelhanças com a sua própria trajetória.

Após ter sido Vice Primeiro-Ministro da Malásia na década de 90, Anwar Ibrahim foi expulso da política e preso por acusações de corrupção e crimes sexuais – no caso, sodomia, considerada ilegal no país asiático. Após seis anos no cárcere, ele foi inocentado das acusações. Mas, em 2008, teve que enfrentar novas acusações por crimes sexuais e encarar uma batalha legal de quatro anos. Só foi inocentado em janeiro de 2012.

http://www.virusplanetario.net/o-fim-do-mundo-amanha/

Evento: Deleitar, Instruir, Mover

Abril sempre foi um mês especial pra mim. Mês do meu aniversário, ora bolas. Mas ano passado esse mês foi um mês articularmente doido. Abriu feridas inesperadas. Em 2010, no final do mês, partiu o querido Prof. Manoel Salgado e minha mãe sofreu um AVC.

Fazendo uma breve retrospectiva, maio/2010 foi um dos, senão “O” mês mais duro dos meus poucos 24 (quase 25) anos. Mas superamos! A pesquisa que quase abandonei por conta da desorientação (acadêmica e interna) já foi retomada. A minha mãe se recuperou surpreendentemente bem, seu reestabelecimento foi rápido e quase não deixou sequelas. Thanks God!

E anteontem recebi a notícia maravilhosa de que a minha mãe voltou a estudar. Bom né?! Nem sei fazer as contas de quanto tempo ela ficou fora de uma sala de aula. Também não sei se foi realmente e simplesmente pela sugestão da fisioterapeuta dela (foi o que me disse) ou se de fato,  ela resolveu atender algum dos meus pedidos. E por isso estou feliz. Feliz porque sei quanto a instrução pode mudar a nossa visão de mundo, a nossa vida. Feliz porque minha mãe superou muito bem o susto que a vida lhe deu e está dando valor a esta segunda chance.

E há pouco tempo também foi a minha vez de tomar contato com a instrução de forma diferente: agora sou eu quem fica lá na frente. Não, ainda não é em uma escola, nem numa universidade (ainda), mas estou fazendo parte de um projeto muito bacana que envolve aulas para alunos de pré-vestibular (PVS – CEDERJ – Fundação CECIERJ) e, confesso, há alguma coisa de mágico em dar aulas. Há sim. E espero, do fundo do meu coração, que o deleite não seja apenas meu nisso.

Fiquei feliz, enfim, por poder nessas minhas aulas passar um pouquinho da visão de História que tenho aprendido até aqui e espero colaborar para a formação daqueles quase 400 alunos de alguma maneira.

E qual não foi a minha alegria ao ver ontem em um dos murais do Instituto de História (ex-IFCS/UFRJ) um cartaz informando sobre o evento abaixo:

Inscrições aqui.

As mágicas aulas do Prof. Manoel deixaram uma marca indelével na minha formação e por isso (e outras razões não tão racionais assim) estarei lá na quarta-feira. E espero que alguns colegas possam ir. Depois desses primeiros parágrafos que escrevi acho que ficaria “demais” continuar escrevendo.

Bom final de abril pra vocês! O meu, aparentemente, será bem diverso do que foi em 2010. Felizmente.