Revista

Dossiê: História Oral e História do Tempo Presente

Gostaria de compartilhar o novo número da revista História Oral que acaba de sair do forno com um dossiê sobre História do Tempo Presente.

Fiquei muito feliz em poder contribuir com este número, já que a História do Tempo Presente é algo pelo que tenho dedicado bastante atenção em minha curta, curtíssima vida acadêmica. Recuando no tempo, antes da graduação na UFRJ, lembro que certa vez fui com minha escola e colegas de Ensino Médio a um evento chamado “PUC de portas abertas”, ou algo do tipo, para apresentar a instituição e alguns cursos aos estudantes vestibulandos. Foi a primeira vez na vida que entrei em uma universidade e também era a primeira vez que eu me via tão perto da disciplina História. Foi lá também que ouvi a expressão “História do Tempo Presente” pela primeira vez. De imediato, soou um paradoxo. Um belo e intrigante paradoxo com o qual eu me encontraria anos mais tarde. Aquele dia nunca esqueci, também porque saímos da PUC e fomos ao Teatro Maria Clara Machado, no Planetário, assistir ao espetáculo Utopia, dirigido por Moacir Chaves e inspirado no texto fundador de Thomas Morus (1478-1535). Voltei no ônibus da excursão para Teresópolis, minha terrinha, chocada com a atualidade das sátiras da peça, li, reli e 4 anos mais tarde reli ainda uma vez o Utopia para um exame oral durante o intercâmbio acadêmico na Universidade de Florença, para a Disciplina Doutrinas Políticas, com a Professoressa Lea Campos Boralevi, com quem aprendi a amar o ofício, o magistério e a interminável leitura que acompanha nosso trabalho de forma muito especial. Por tudo isso, pensar o presente e a história do tempo presente foi tão prazeroso pra mim desde que me “formei” (se é que nos “formamos” um dia).

Enfim, agradeço e parabenizo às professoras Carla Simone Rodeghero e Márcia Ramos pelo esforço concentrado na realização deste número e convido todos para a leitura. É uma satisfação enorme estar nesse número em tão boa companhia.

 História Oral v. 17, n. 1 (2014): História Oral e História do Tempo Presente

Sumário

Apresentação – História Oral e História do Tempo Presente (5-6) Carla Simone Rodeghero, Márcia Ramos de Oliveira

Dossiê

História Oral, cidade e lazer no tempo presente (7-37) Fernando Cesar Sossai, Ilanil Coelho

Conversas na antessala da Academia: o presente, a oralidade e a História Pública Digital (39-69) Anita Lucchesi

Família, lei e memória: subjetividades construindo parentesco (Florianópolis (SC) 1970-1990) (71-88) Silvia Maria Fávero Arend

Os outros rostos de “La Noche de los Lápices”: memória e testemunho dos sobreviventes de um episódio emblemático da repressão durante a última ditadura civil-militar argentina (1976-1983). (90-117) Marcos Oliveira Amorim Tolentino

História Oral e Tempo Presente: as entrevistas realizadas com pacientes/moradores do Hospital Colônia Itapuã (Viamão/RS) (119-134) Viviane Trindade Borges, Juliane Primont Serres

Multimídia

Luto, Identidade e Reparação: videobiografias de desaparecidos na ditadura militar brasileira e o testemunho no tempo presente (135-161) Sônia Maria Meneses

Artigos

Associação Brasileira de História Oral, 20 anos depois: O que somos? O que queremos ser? (163-192) Angela Maria de Castro Gomes

Un largo camino a la privatización, memoria y resistencia en los trabajadores de los talleres de Tafí Viejo (Tucumán – Argentina) (193-218) Alberto Oscar Sosa Martos

“DOMINGO DE REMINISCERE”: TRAMAS MNEMÔNICAS DA ROMARIA DO SENHOR DOS PASSOS DE SERGIPE (219-242) Magno Francisco de Jesus Santos

Escre(vivência): a trajetória de Conceição Evaristo (243-265) Bárbara Araújo Machado

Entrevistas

A trajetória política de Sereno Chaise: da democracia de 1945 aos dias atuais (267-302) Claudira do Socorro Cirino Cardoso, Gustavo Coelho Farias, Laura Ferrarri Montemezzo Notas

Advertisements

Boletim Historiar

No ar a nova revista discente “Boletim Historiar“, nascida das boas ideias e do empenho dos colegas da Universidade Federal de Sergipe, do Grupo de Estudos do Tempo Presente (GET/UFS). Parabéns, pessoal!

Neste número, faço uma pequena contribuição, com o artigo Por um debate sobre História e Historiografia Digital, mas deixo o convite para que confiram o número na íntegra, que trás discussões sobre o filme na história, música, patrimônio e tempo presente, além de resenhas quentíssimas.

Boletim Historiar, n. 2 (2014)

Imagem

Artigos

Além do que se vê: o filme, objeto da história
Dilton Maynard
Entre a Alternância e a Hegemonia Política: o Paraguai no Tempo Presente
Karl Schurster, Márcio Brito
Retóricas identitárias no circuito do Choro de Aracaju
Daniela Bezerra
Patrimônio aos olhos de quem? Um breve estudo sobre a construção do conceito ‘Patrimônio Histórico’
Jandson Soares, Wendell Souza

 

Resenhas

Integração Sul-ameriana no Tempo Presente
Gabriela Resendes
Redes de Indignação e Esperança: Movimentos sociais na era da internet
Paulo Teles

Chamada para Cadernos do Tempo Presente (GET/UFS) – “Qualis B2”

[REPASSANDO: CHAMADA PARA ARTIGOS E RESENHAS DO CADERNOS DO TEMPO PRESENTE]

Imagem

O Grupo de Estudos do Tempo Presente – GET, ligado ao Departamento de História da Universidade Federal de Sergipe, responsável pela revista eletrônica trimestral dos Cadernos do Tempo Presente (QUALIS B2), informa a todos os interessados em apresentar  artigos e resenhas  para publicação que continua recebendo artigos e resenhas em fluxo contínuo. Seguindo a própria composição do GET, serão bem-vindas produções de historiadores, geógrafos, cientistas sociais, filósofos, jornalistas, economistas, psicólogos, estudiosos das relações internacionais, dos meios de comunicação e demais áreas das ciências humanas.

 

Normas para Publicação nos Cadernos do Tempo Presente

  As normas a serem obedecidas consideram:

Artigos: São textos de fôlego, resultado de pesquisa bibliográfica ou arquivística. Necessariamente atenderão às normas e formas de referência de costume no ambiente acadêmico, cuja argumentação e defesa de hipóteses, problemas ou objetos serão cuidadosamente realizados. É fundamental, neste caso, o envio de abstract em inglês unicamente.

Resenhas: São trabalhos concisos, de recensão de textos, filmes, livros, sítios eletrônicos ou outras fontes/obras, com normas e formas de referência de costume no ambiente acadêmico, com identificação objetiva dos objetos recenseados. Serão aceitas apenas as resenhas de obras dos últimos 4 (quatro) anos. Solicitam-se materiais com no mínimo 2 laudas  e no máximo 4 laudas

 

Atenção: Além de obedecerem as normas de referência da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT).Os trabalhos devem estar adequados ao formato dos Cadernos do Tempo Presente, satisfazendo os seguintes requisitos:

 

1.Tipo de letra: Times New Roman

2.Tamanho da letra: 12

3.Espaçamento entre linhas: 1,0.

4.Tamanho da letra para citações destacadas: 10.

5.Não devem utilizar o formato autor-data, mas as referências devem vir em forma de notas ao final do texto, antes apenas da bibliografia.

6.Título do texto em negrito. Frase em letra minúscula.

7.Abaixo do título deve vir apenas o(s) nome(s) do(s) autor(es) alinhado(s) à direita.

8.Resumo: espaçamento entre linhas: 1,0.

  • Até 1.000 caracteres com espaço. De 3 a 5 palavras-chaves.
  • Os artigos devem conter um resumo em português e um resumo em inglês obrigatoriamente. Não serão aceitos outro idioma exceto estes.
  • O abstract deve vir acompanhado do título do trabalho em inglês, negrito, justificado, com frase em letra minúscula.

9.Os artigos não devem conter imagens. Serão aceitos somente tabelas ou gráficos para os artigos nos quais estas sejam indispensáveis ao entendimento dos mesmos.

10.Anexado à resenha, deve ser enviado um segundo arquivo contendo a imagem do documento resenhado.

11.Notas: letra Times New Roman, tamanho 10.

  • Espaçamento entre linhas e entre notas 1,0.
  • Devem vir obrigatoriamente em algarismo romano (Ex.: I, II, III…), letra maiúscula (ex: XXI), formato sobrescrito. Não serão aceitas as notas em romano que vierem em letra minúscula (ex: xvii). 
  • Devem vir ao final do artigo, antes apenas da bibliografia. Não serão aceitas notas de rodapé.
  • Não deve haver uma linha separando o tópico “Notas” do texto.
  • A(s) primeira(s) nota(s) obrigatoriamente deve(m) conter os dados do(s) autor(es), com até 360 caracteres com espaço. Se o texto for proveniente de financiamento de pesquisa, ou adaptado de uma palestra, o autor deve explicar isso na mesma nota que constará seus dados pessoais.

Ex: IMestranda em História pela UFRJ. Este texto foi produzido com financiamento da FAPITEC/SE. 

Serão recusados os textos que descumprirem estas normas. Os trabalhos devem ser enviados pelo endereço eletrônico:  caderno@getempo.org e estarão sujeitos a parecer técnico-científico. Conforme a agenda dos Cadernos do Tempo Presente a resposta para a candidatura será enviada em até 120 (cento e vinte) dias. 

Atenciosamente,

Prof. Dr. Dilton Cândido Santos Maynard (Editor Chefe)

Prof.ª Karla Karine J. Silva (Editora)

Prof.ª Monica C. Santana (Editora)

Prof.ª Débora Souza Cruz (Editora)

Jornalista  Carole Ferreira da Cruz (Editora)

Luyse Moraes Moura (Editora Jr.)

Raquel Anne Lima de Assis (Secretária)

Diego Leonardo Santana Silva (Diagramador Jr.)

Marlíbia Raquel de Oliveira (Diagramadora Jr.)

Historia Critica: dossier “historia digital”

Parabéns a todos da “Historia Critica” pela excelente e precisa publicação a cerca dos novos desafios para os historiadores do século XXI.

Acessem o volume digital para a leitura no ISSUU: http://issuu.com/rfaciso/docs/historia_critica_no._43 (em breve instalarei o plugin do issuu aqui no WordPress para facilitar).

Call for papers – Revista Cadernos de História

A Revista Eletrônica Cadernos de História (UFOP) lança a chamada de trabalhos para a edição ano V n° 1, com seção temática de artigos Religião, Identidade e Cultura e seção livre para resenhas, transcrições comentadas, entrevistas e traduções. O prazo para envio de trabalhos se encerra no dia 1° de março de 2010.

 

O Historiografia.ning divulgou e nós também!